terça-feira, 15 de novembro de 2011

Uma nova chance




Havia um homem muito rico, possuía bens, uma grande fazenda, muito gado e vários empregados a seu serviço. Tinha ele um único filho, um único herdeiro que, ao contrário do pai, não gostava de trabalho, nem de compromissos.
O que ele mais gostava era de fazer festas e estar com seus amigos e de ser por eles bajulado.
Seu pai sempre o advertia que seus amigos só estavam ao seu lado enquanto ele tivesse o que lhes oferecer, depois, o abandonariam. Aos insistentes conselhos do pai ele não dava a mínima atenção.
Um dia o pai já avançado na idade, disse aos seus empregados para construírem um pequeno celeiro e, dentro dele, ele mesmo fez uma forca e, junto a ela, uma placa com os dizeres:
“PARA VOCÊ NUNCA MAIS DESPREZAR AS PALAVRAS DE SEU PAI.”
Mais tarde, chamou o filho e o levou até o celeiro e lhe disse:
Meu filho, eu já estou velho e, quando eu partir, você tomará conta de tudo o que é meu e eu sei qual será o seu futuro. Você vai deixar a fazenda nas mãos dos empregados e irá gastar todo o dinheiro, seus amigos vão se afastar de você e, quando você então não tiver mais nada, vai se arrepender amargamente de não ter me dado ouvido. Foi por isto que eu construí esta forca. Ela é para você e quero que você me prometa que se acontecer o que eu disse, você se enforcará nela.
O jovem riu, achou um absurdo, mas para não contrariar o pai prometeu e pensou que jamais isso pudesse ocorrer. O tempo passou, o pai morreu, o filho tomou conta de tudo. Assim como seu pai havia previsto, o jovem gastou tudo, perdeu os bens, perdeu os amigos e a própria dignidade.
Desesperado e aflito, começou a refletir sobre sua vida e viu que havia sido um tolo. Lembrou-se das palavras de seu pai, começou a chorar e dizer:
-Ah, meu pai….. Se eu tivesse ouvido os seus conselhos… mas agora ? tarde demais.
Pesaroso, o jovem levantou os olhos e, longe, avistou o pequeno e velho celeiro. Era a única coisa que lhe restava. A passos lentos, se dirigiu até lá e, entrando, viu a forca e a placa empoeirada e pensou:
- Eu nunca segui as palavras do meu pai. Vou cumprir a minha promessa. Não me resta mais nada… Então, ele subiu nos degraus e colocou a corda no pescoço e pensou:
- Ah, se eu tivesse uma nova chance.
Então se jogou do alto dos degraus e, por um instante, sentiu a corda apertar a sua garganta. Era o fim…Mas o braço da forca era oco e quebrou-se facilmente. O rapaz caiu e, sobre ele caíram jóias, ouro, prata, esmeraldas, pérolas, rubis, safiras e brilhantes – a forca estava cheia de pedras preciosas – e caiu também um bilhete:
- “Esta é sua nova chance. Eu te amo. Com amor. Seu velho e já saudoso pai.”
“DEUS É ASSIM CONOSCO. ELE SEMPRE NOS DÁ UMA NOVA CHANCE.”

Record e Iurd atacam pentecostais com apoio de Edir Macedo




De forma indireta, via TV Record e direta, via TV Iurd, o bispo Edir Macedo, líder máximo da Igreja Universal do Reino de Deus, voltou a atacar os pentecostais acusando-os de servir ao diabo quando caem em espírito. As primeiras acusações, neste final de semana, aconteceram no programa Domingo Espetacular, que em uma reportagem de 39 minutos e 23 segundos faz pesadas acusações sobre o que leva os pentecostais a caírem em espírito.
Sobre a narração de Afonso Mônaco e com o titulo de “A Grande Reportagem”, a matéria apresenta o que chamam de uma “histeria coletiva popularmente chamada de “cair no espírito”.
Na reportagem que, levou 15 dias para ser realizada e envolveu uma grande equipe, são mostrados vários vídeos com cenas em que é mostrado o agir de Deus, classificado pela reportagem como do diabo.
Outro ponto atacado não são apenas os pastores pentecostais, mas também movimentos religiosos como a Renovação Carismática da Igreja Católica , como também em outros grupos religiosos e seitas.
No Canadá a reportagem traz uma entrevista com Paul Gold (foto), identificado como um “dos inventores do ‘movimento cair no espírito ’.
Há ainda uma entrevista com o psicólogo Jacob Goldberg que atribui o uso das músicas como uma ferramenta que pode ser usada para a entrega das pessoas e com outras especialistas que tentam mostrar que isso só acontece por causas humanas.
São também apresentados depoimentos de pessoas que teriam deixado o movimento pentecostal e que tentam, mais uma vez, desacreditar da unção do espírito.


Quase no final da matéria, na realidade faltando menos de 5 minutos, o grande mistério é apresentado: a entrevista da jornalista Heloisa Villela, com Paul Gold, um ex-líder do Aeroporto de Toronto, onde, segundo a reportagem, o movimento foi iniciado afirma que nunca o Espírito Santo esteve presente no movimento, mas sim era um “espírito enganador”.
O que a matéria deixa de mostrar é sobre a festa de Pentecostes, que é registrada nas passagens bíblicas.
Na manha desta segunda-feira, o tema voltou a ser tratado na TV Iurd por vários bispos que apresentaram a exaustão a reportagem da Record.

Fonte: Redação Mundo Gospel

Ex-bispo acusa igreja de lhe tirar três emissoras de rádio




O ex-bispo da Igreja Universal Jorge Coelho da Cunha entrou com ações judiciais na Bahia e em Pernambuco para reaver três emissoras de rádio que, segundo afirma, teriam sido tiradas dele pela Igreja Universal do Reino de Deus com o uso de procuração falsa. Antes de romper com a Universal, em 2002, ele foi bispo por dez anos, e responsável pela região Nordeste.
A denúncia é do jornal A Folha de São Paulo.
Ele afirma na Justiça que demorou a reivindicar a retomada das rádios porque teria sofrido perseguição religiosa. Disse que, após o rompimento, viu-se forçado a deixar o país, e morou por cinco anos nos Estados Unidos.
O ex-bispo diz que nunca assinou documento autorizando a venda de suas cotas. As transferências foram registradas nas juntas comerciais da Bahia e de Pernambuco, por procuração.
O advogado Marcelo de Lima Brasil, que presta serviços à igreja, assinou a documentação nas juntas comerciais como procurador do ex-bispo e da ex-mulher dele.
As ações são contra as emissoras e bispos que sucederam Jorge da Cunha. O bispo Edir Macedo, líder da Universal, não é réu.
O advogado Marcelo de Lima Brasil, que representa a Universal, disse que não se lembrava dos processos e nem sabe se eles “existiram”. Afirmou ainda que, caso tenha sido “alguma coisa de cliente”, “existe o sigilo” e a “ética profissional” que o impedem de falar.
Lima Brasil assinou as documentações nas juntas comerciais como procurador de Jorge da Cunha.
A Igreja Universal foi procurada pela reportagem desde abril. A advogada Simone Galhardo, que respondia interinamente pela diretoria jurídica, disse que a igreja não é parte no processo. Em outras tentativas, não houve retorno.
Este é o terceiro conflito judicial sobre a propriedade de empresas de radiodifusão envolvendo ex-bispos da Igreja Universal. Em 2007, a Justiça do Rio condenou o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) a pagar R$ 1,5 milhão ao ex-bispo Paulo Roberto Gomes da Conceição, referente a ações da TV Cabrália, de Itabuna (BA), depois de uma sociedade desfeita.
Em Santa Catarina, o ex-bispo Marcelo Nascente Pires tenta anular a transferência de ações das TVs Itajaí e Xanxerê. Em outra ação em Curitiba (PR), ele acusa dirigentes da igreja de fraude.

Fonte: Folha